Escrito por

debate-globo-pastor-everaldo-w2

No Debate dos presidenciáveis destas Eleições 2014 realizado pela Rede GLOBO, na quinta-feira, 2 de outubro, houve um momento em que comecei a falar da lentidão das obras do PAC, mas não foi possível continuar. Muitos me perguntaram o que iria dizer naquela réplica. Veja a seguir o que penso sobre o tema.

Escrito por

debate-record-1-w

Como integrante do seleto grupo dos sete principais candidatos à Presidência da República, Pastor Everaldo participou do debate da TV Record/R7 no domingo (28/9). O encontro é o penúltimo de uma série de eventos semelhantes. O próximo será o debate da Rede Globo, na quinta-feira, dia 2 de outubro.

Escrito por

Lamentavelmente, histórias trágicas de perdas familiares por causa da violência são comuns no Brasil de hoje, em que os bandidos estão nas ruas, e os cidadãos de bem, como você, estão presos dentro de casa.

Escrito por

record-1-w

Numa entrevista especial ao principal telejornal da Rede Record, na sexta-feira, 19, destaquei a importância da iniciativa privada para a sociedade brasileira.

Disse aos apresentadores do Jornal da Record, Celso Freitas e Adriana Araújo, e a toda aquela grande audiência do programa, que existem áreas onde a atuação do Estado é supérflua, desnecessária. É o caso dos aeroportos, dos portos, das ferrovias, rodovias e hidrovias, cujo potencial é subaproveitado porque o Estado não tem condições de investir e a iniciativa privada não tem acesso

Ao ser questionado sobre a privatização da Petrobras, respondi que, nos Estados Unidos, existem cerca de 8 mil empresas da área petrolífera e nem por isso o petróleo deixou de ser dos americanos. Na nossa avaliação, apenas o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal poderiam ficar fora das privatizações, por administrarem recursos e programas dos trabalhadores brasileiros.

Nós, do PSC, concordamos que a presença do Estado na economia é importante e até imprescindível em algumas áreas, mas, desde que não haja desperdício do dinheiro público, nem impedimento à atuação mais eficiente da iniciativa privada, como ocorre hoje.

Imprescindível, no nosso entendimento, é que o Estado esteja presente onde deve estar, ou seja, na saúde, na educação e na segurança pública.

 

À BandNews, falei da valorização do SUS e do problema do déficit habitacional

bandnews-3-w

Na entrevista que concedi na quinta-feira (18), em São Paulo, à Rádio BandNews, tratei de dois temas importantes de nosso programa de governo: a correção da tabela do SUS e a falta de moradias para as famílias brasileiras.

O SUS é um sistema que funciona. Mas, hoje, existem procedimentos reembolsados pelo SUS - um atendimento médico, um exame - que são mais baratos que um picolé na rua; uma pousada de beira de estrada é mais cara do que o valor que o SUS reembolsa para uma UTI. Então, temos que corrigir a tabela do SUS para que possa ser eficiente e meritocrática, e estabelecer uma gestão com responsabilidade nos hospitais públicos, de um modo geral.

Sobre a necessidade de um teto para todos, ressaltei que é inadmissível o atual déficit habitacional do País, em torno de 10 milhões de moradias. Este problema da aglomeração nas grandes metrópoles é uma questão de dignidade; o trabalhador saber que vai terminar o dia e que vai para a sua casa. Nossa proposta é de erradicar essa falta de moradia e usar outros sistemas. Os municípios, hoje, estão massacrados e sem recursos; e só com a reformulação do pacto federativo será possível dar mais autonomia e mais condições para que os municípios possam construir loteamentos e fazer obras de abastecimento de água e de esgotamento sanitário.

 

Numa caminhada em São Paulo, recebi elogios à proposta de isentar de IR quem ganha até 5 mil reais

caminhada-3-w

Também na quinta-feira (18/9), realizamos uma caminhada pelo bairro oriental da Liberdade, em São Paulo, onde fui cumprimentado por populares e elogiado por nosso programa de governo, em especial, pela decisão de, se eleito, isentar salários de até R$ 5 mil da incidência do imposto de renda.

Hoje o microempresário individual já é isento até R$ 5 mil. Então, se você tirar esse dinheiro da mão do governo e deixar no bolso do trabalhador, ele vai saber aplicar de melhor maneira. E, o mais importante, esse dinheiro deixa de ser desviado para a corrupção. Quando você está com dinheiro no bolso, você poupa, faz investimento e compra. E aí a economia começa a girar.

Mais tarde, ainda na quinta-feira, concedi entrevista à TV Folha, e no dia 17, quarta, conversei com o jornalista Luís Nassif do Blog GGN. Nesta viagem a São Paulo, capital, também gravei o novo programa eleitoral sobre corrupção que está no ar e disponível no link abaixo.

 

Programa eleitoral: combate à corrupção

 

Nossa agenda de campanha neste sábado, dia 20

10h - Caminhada Corpo a corpo - Av Paranoá, na altura da quadra 27 (Paranoá – DF)
17h30 - Encontro PSC Mulher - Catedral da Benção - QSF/AE 4/5 - (Taguatinga – DF)
19h - Congresso de Mulheres da Assembleia de Deus de Madureira - Sobradinho - Ginásio de Esportes de Sobradinho - Qd.2 - Área Reservada 1/5 - (Sobradinho – DF)